8 livros fundamentais para quem quer escrever quadrinhos


Minha ausência é justificável. Além do Garatujas Aleatórias, estou me dedicando a um projeto autoral e inédito para mim: escrever um roteiro para quadrinhos. Uma coisa é usar a língua para transmitir a mensagem; outra é unir texto e imagens para esse mesmo fim. Por isso reuni algumas indicações de livros para beber da melhor fonte. Não li todos ainda, mas qualquer um que queira se meter a roteirista de HQs precisa ler pelo menos dois ou três livros dessa lista abaixo.

Desvendando os quadrinhos, Scott McCloud
[Livraria Cultura | Amazon | Saraiva | Livraria da Folha]

Scott McCloud é um dos principais defensores, atualmente, da ideia de que os quadrinhos são uma forma literária. Claro que isso não é novidade, Watchmen, publicado na década de 80, é um exemplo clássico da sofisticação literária da banda desenhada. Em 1993, McCloud destruiu de vez qualquer estigma de 'entretenimento barato' que os quadrinhos ainda poderiam carregar. Desvendando os quadrinhos é o primeiro título de uma trilogia que pode ser considerada um bastião dessa arte. O livro analisa a forma artística e a funcionalidade do formato, define elementos básicos e revela a maneira como a mente processa a linguagem. Além disso, aspectos menos gerais, como a influência do tempo nas histórias, as interações entre quadros e palavras e narrativas também fazem parte do escopo do livro. Como bônus, McCloud faz uma análise do processo criativo.

Reinventando os quadrinhos, Scott McCloud
[Submarino | Casas Bahia | Amazon | Americanas]

No segundo volume da série, publicado em 2000, McCloud detecta doze revoluções na maneira como os quadrinhos são criados, lidos e percebidos. Com isso, definitivamente posiciona os quadrinhos como forma literária equiparada à literatura ou qualquer outra arte. McCloud detalha a percepção dos leitores em relação à construção das representações sexuais e étnicas, discorre sobre a luta dos autores pelos direitos e traz mais informações sobre o complexo processo de criação de histórias em quadrinhos.

Desenhando quadrinhos, Scott McCloud
[Livraria da Travessa | Amazon | Americanas | Saraiva]

Mais técnico, o último livro da trilogia detalha todos os elementos narrativos e operacionais necessários na construção de uma história em quadrinhos. Por exemplo, qual será a disposição dos quadros na primeira página? Como escolher as palavras para legendas e balões? Como o corpo dos personagens deve se expressar em diversas situações? É um livro digno de seus antecessores.

Eisner/Miller, Charles Brownstein
[Saraiva | Livraria Cultura]

Certo dia, por volta de 2002, Frank Miller viajou para a Flórida, onde encontrou o velho amigo Will Eisner. Durante um fim de semana inteiro, os dois conversaram tudo o que pode ser conversado em uma vida sobre quadrinhos. A discussão foi devidamente gravada, transcrita pelo editor Charles Brownstein, e transformada num livro fantástico de 350 páginas.

Mangaka, Akira Toriyama
[Saraiva]

O Japão tem uma tradição forte em HQs – ou mangás, como são chamados por lá. E Akira Toriyama é um dos mais representativos roteiristas da terra do sol nascente. Autor de títulos como Dragon Ball e Dr. Slump, Toriyama criou um verdadeiro guia na arte do mangá. Mangaka traz não só informações fundamentais para leitores, mas também dicas sobre a construção da linguagem e do ritmo narrativo, além de um vislumbre da rica cultura japonesa.

Como escrever quadrinhos, de Gian Danton
[Distribuição gratuita]

Dicas técnicas para a formatação do roteiro, workflow e processo criativo são alguns dos temas abordados por Gian Danton em Como escrever quadrinhos. Quadrinista desde 1989, Danton usa a própria experiência para fornecer informações básicas, mas para as quais muitos não estão atentos quando escrevem ou desenham. Confira também o blog do autor.

Guia oficial DC Comics: roteiros, de Denis O'Neil
[Esgotado; há uma versão para download aqui]

O livro faz um apanhado geral sobre a arte, sintetiza informações importantes para criadores e dá algumas noções fundamentais sobre estilo e narrativa. Se você não é familiar com os principais nomes do universo dos quadrinhos, não tem costume de ler e nunca escreveu HQs, esse é um ótimo livro para iniciar a jornada.

Narrativas gráficas, Will Eisner
[Amazon | Saraiva]

Will Eisner é apontado como o primeiro a pensar os quadrinhos em contextos históricos e científicos. Utilizando como exemplos suas próprias ilustrações, Eisner discorre sobre a linguagem visual, a necessidade das pessoas de contar histórias ilustradas, a evolução dos quadrinhos, processo criativo e o desenvolvimento da narrativa ao longo dos anos. Poucos se comparam a Eisner na visão que se tem de histórias em quadrinhos.

A curadoria foi feita pelo bróder Daslei Emerson