Guia politicamente incorreto da Literatura deve ganhar tradução


O que você pensaria de Jane Austen se soubesse que ela era adepta do patriarcalismo britânico em sua época? E que, na verdade, a maioria dos grandes escritores não era nada revolucionária, mas conservadora? É o que argumenta a autora Elizabeth Kantor, do The Politically Incorrect Guide to English and American Literature. A tradução para o português da obra está em fase de financiamento coletivo pelo Kickante.

A editora responsável pela campanha é a Simonsen, que por enquanto tem dois títulos no catálogo e um terceiro em produção. A tradução do Guia politicamente incorreto da Literatura já estaria concluída; os R$ 16 mil necessários para realizar o projeto têm como objetivo o pagamento do adiantamento em direitos autorais, confecção, impressão e envio dos exemplares.

Apesar de a obra original ser destinada aos estudantes da área de Letras norte-americanos, o editor responsável, Rodrigo Simonsen, espera encontrar um bom nicho de leitores no Brasil.

"Muitos dos professores que ensinam literatura na faculdade perderam o contato com a realidade e com sua própria matéria. Entre num curso de Letras em uma universidade qualquer e as chances de que você estude teoria marxista ou a história do balé são realmente grandes. Você poderá presenciar uma investigação sobre a pornografia através dos tempos ou, ainda, passar o semestre todo assistindo a filmes estrangeiros. O fato é que o que provavelmente não acontecerá é o ensino da apreciação e do entendimento da grande literatura", informa o texto de divulgação da obra.

A ideia é recuperar a influência literária europeia e escantear disciplinas que atualmente fazem parte da grade curricular, como estudos de gênero, cultura popular e psicanálise. Assim como os livros congêneres assinados por Leandro Narloch no Brasil, o Guia politicamente incorreto da Literatura é declaradamente conservador e polemista. "O Guia também ensinará o caminho das pedras através do campo minado que é a 'teoria literária', que pode fazer com que você se perca não apenas no que compete à grande literatura, mas a todos os bons frutos da civilização ocidental", alega.

A editora Simonsen conseguiu recentemente um bem sucedido financiamento na plataforma Kickante. A tradução do livro Tire os olhos da bola, que trata das regras do futebol americano, conseguiu arrecadar R$ 33,9 mil, quase o dobro da meta estabelecida. No entanto tem apenas poucos dias para arrecadar os R$ 13 mil necessários para concretizar o projeto atual.