Livro defende que mercado regulado é vital para o capitalismo


Diante da estagnação econômica aliada a um cenário de inflação acima do teto da meta, economistas da linha liberal defendem que o governo deve soltar as amarras da economia. Entretanto, isso pouco significa quando considerado o posicionamento no mercado global das nações em desenvolvimento, como o Brasil.

Com as economias sujeitas a taxas de juros e câmbios escorchantes, a competitividade é comprometida. E a solução para esse cenário deve ser, ao contrário do que pregam economistas das escolas austríaca e norte-americana, é um mercado regulado, sem taxas flutuantes. É o que defende o doutor em economia pela Unicamp Luiz Afonso Simoens no livro Moeda e crise econômica global.

Para o autor, a crise de 1929 e a atual crise econômica, que ainda tem reflexos quase dez anos após sua deflagração, foram provocadas por um mercado instável que remunera pela lógica do rentismo. Acordos que submeteram o capital financeiro à esfera produtiva, como o Acordo de Brenton-Woods (1944) e a Lei Glass-Steagall (1933), impuseram taxas fixas, câmbio administrado e controle de fluxos de capital. O desenvolvimento industrial norte-americano se deu num ambiente econômico controlado, defende Simoens.

Já o contexto que culminou com a atual crise teve origem ainda na década de 70, justamente com a retomada das economias japonesa e norte-americana, e com os desequilíbrios orçamentários dos EUA com guerras e crises internacionais, incluindo as do petróleo. Os governos de Reagan, nos EUA, e Thatcher, no Reino Unido, teriam provocado um crescimento desordenado da especulação financeira, que se estende até hoje.

"Não há como pensar em uma volta à época em que o sistema financeiro era apenas funcional à estrutura produtiva e comercial do país. Aquele foi um período em que os horizontes de negócios eram mais largos e as remunerações dos dirigentes se baseavam na rentabilidade que suas intervenções traziam para o banco", atesta o professor, no livro.

Ficha técnica

Livro: Moeda e crise econômica global
Editora: Editora Unesp
Preço: R$ 56
ISBN: 978-85-393-0565-0
Assunto: Política, economia
Páginas: 254
Edição: 1ª
Ano: 2015