Como escolher seu eReader | Kindle


Em 2013, o mercado de livros digitais faturou R$ 12,7 milhões, segundo dados da Câmara brasileira do Livro (CBL), um crescimento de 225% em relação ao ano anterior. Os brasileiros estão comprando mais livros digitais. Os dados representam uma mudança nas práticas de leitura, e com isso é natural que a procura por aparelhos dedicados – os chamados eReaders – cresçam na mesma proporção.

Ebooks podem ser lidos em smartphones ou tablets. As mesmas empresas que distribuem leitores digitais contam com aplicativos eficientes e gratuitos para o usuário montar a própria biblioteca. Mas a experiência de leitura pode ser bem diferente: enquanto um eReader promete uma leitura confortável e uma bateria bem mais duradoura, celulares e tablets podem cansar os olhos devido à forte retroiluminação da tela, e a bateria não dura mais do que dois dias. Além disso, as inúmeras distrações – como redes sociais e jogos – tiram o foco da leitura.

A primeira empresa a apostar nos eReaders foi a Amazon, com o Kindle, em 2007. As vendas do aparelho em si não garantem lucro, o verdadeiro filão da companhia é a venda de conteúdo digital. Em seguida, veio sua concorrente global, a Barnes & Noble, a japonesa Kobo – representada no Brasil pela Livraria Cultura – entre outras. A Positivo lançou o Alfa no Brasil em 2010; alguns anos depois a Saraiva criou o Lev, com foco também no conteúdo digital.

Com tantas opções, como escolher o dispositivo mais adequado às suas necessidades? Nesta primeira postagem sobre como escolher o melhor eReader para você, separamos abaixo as características, vantagens e desvantagens dos aparelhos da marca Kindle, da Amazon. Confira abaixo.

> Importante: se for comprar, utilize os links indicados abaixo. É com a grana dessas comissões que o Livreiro Nômade paga as contas.

Primeiro

Entenda que, independente das marcas, existem três características essenciais que você deve observar: tela retroiluminada (brilho), conectividade (WiFi apenas ou 3G incluso) e tela sensível ao toque. Falando nisso, é bom lembrar: a tela dos eReaders utiliza a tecnologia de eInk, ou tinta eletrônica, que deixa as imagens em tons de preto-e-branco. Portanto não se engane achando que é um "tablet" mais barato: o eReader é um dispositivo voltado especificamente para a experiência de leitura de livros digitais.

Touchscreen

Os primeiros dispositivos contavam com um teclado físico, mas atualmente a maioria tem tela sensível ao toque. É um recurso prático e moderno, embora não tenha a mesma velocidade de resposta e consuma um pouco mais de bateria.

Conectividade

O fato de o eReader ser apenas WiFi ou ter como adicional a opção de acesso 3G pode influenciar bastante o preço. Se você se desloca, viaja com frequência ou utiliza muitos recursos web durante a leitura, o 3G é uma opção a ser considerada. Se passa muito tempo onde há uma rede WiFi disponível (em casa ou no trabalho, por exemplo), deve ponderar se necessita de um aparelho mais caro com um recurso que será pouco utilizado.

Tela retroiluminada

EReaders tradicionais foram feitos para leitura em ambientes iluminados, graças ao recurso antirreflexo. Eles não emitem luz e só consomem energia na troca de página – é como se estivessem desligados enquanto o leitor não executa nenhuma função, apenas lê. No escuro, é um aparelho inútil. Para suprir essa necessidade, os fabricantes passaram a criar aparelhos com telas que emitem luz e cuja iluminação pode ser ajustada conforme o ambiente.

Kindle

É o mais tradicional e conhecido eReader do mercado. Quando o usuário adquire um livro no site da Amazon pelo computador, pode cadastrar o dispositivo de leitura e sincronizar automaticamente – a compra aparece de imediato na biblioteca. O acervo da Amazon, tanto no Brasil quanto internacional é bem vasto, e geralmente os preços praticados pela companhia são competitivos. Outro diferencial da Amazon é que o cliente pode simplesmente devolver o aparelho, sem dar qualquer explicação, 30 dias após a compra e receber o valor integral de volta.

Outros recursos interessantes incluem: consulta a dicionário embutido e memorização (qualquer termo em qualquer livro podem ser consultados sem precisar sair do livro), vocabulário para termos em inglês, sincronização com a biblioteca na nuvem e acesso ao programa Kindle Unlimited, que oferece livros ilimitados a uma taxa de R$ 19,90 por mês.

Desvantagem: A Amazon só admite formatos proprietários (exclusivos) de eBooks. Ou seja, você não pode ler livros em formato ePub – padrão do mercado – em dispositivos Kindle. Por outro lado, é possível importar e ler arquivos em PDF ou Word (Doc).

Kindle tradicional

[link para compra]
Preço: R$ 299


As gerações mais recentes do Kindle vêm com tela sensível ao toque e antirreflexo, o que permite a leitura em ambientes claros ou até debaixo de sol. Exceto pela ausência de iluminação própria e conectividade apenas por WiFi, conta com todos os recursos dos outros aparelhos da família, como acesso ao Kindle Unlimited – onde o usuário pode ler livros à vontade por R$ 19,90 ao mês –, acesso a vocabulário e dicionário diretamente dos livros e integração com a loja da Amazon.

Kindle Paperwhite

[link para compra]
Preço: R$ 379


A novidade do aparelho é a tela retroiluminada, que permite a leitura não só em ambientes claros, como também onde há pouca ou nenhuma luz ambiente. Os demais recursos são padrão para os dispositivos Kindle.

Novo Kindle Paperwhite

[link para compra]
Preço R$ 479


Lançado recentemente no Brasil, junto com o Kindle Voyage, o Novo Kindle Paperwhite conta com uma tela sensível ao toque de alta definição [300 pixels por polegada], densidade suas vezes superior à das gerações anteriores. Na prática isso significa letras mais 'redondas', o que melhora a legibilidade. Também conta com a fonte exclusiva Bookerly

Kindle Paperwhite 3G

[link para compra]
Preço: R$ 699


Conta com os mesmos recursos dos irmãos mais pobres, porém com uma diferença: a conectividade 3G. A tecnologia torna o aparelho mais caro, porém o usuário não precisa pagar nenhuma taxa de utilização do recurso. Uma vantagem que faz sentido, já que a aposta da Amazon é na venda de conteúdo. Mais conectividade, mais conteúdo vendido. Os caras não dão ponto sem nó. Só vale a pena comprar se você usa o aparelho regularmente e passa muito tempo sem acesso a uma rede WiFi, seja viajando, seja se deslocando dentro da cidade.

Kindle Voyage

[link para compra]
Preço R$ 899


Recentemente lançado no Brasil, o novo modelo de ponta da Amazon tem um preço [como você já deve ter constatado] bem salgado. O aparelho, além da tela de alta definição, conta com iluminação que se ajusta ao ambiente. O recurso PagePress permite a troca de páginas ao pressionar levemente um dos dois botões capacitivos na lateral do aparelho, o que torna ainda mais prática a experiência de leitura. É o melhor eReader já criado, tanto que não tem concorrentes similares. Entretanto a versão 3G do aparelho não deve chegar tão cedo ao Brasil. O aparelho está em pré-venda e chega às lojas a partir de julho.

Detalhes técnicos comuns

Tamanho da tela: 6 polegadas
Dimensões físicas: 169 x 119 x 10.2 milímetros
Peso: 191 gramas
Espaço em disco: 4GB
Expansível com cartão microSD: não
Entrada USB: 2.0
Duração da bateria: até um mês com WiFi desligada
Tempo de carga: 1h30min
Suporte a conteúdos: Kindle Format 8 (AZW3), Kindle (AZW), TXT, PDF, MOBI sem proteção, PRC naturalmente; HTML, DOC, DOCX, JPEG, GIF, PNG, BMP por meio de conversão