Obras centenárias podem ser acessadas na biblioteca digital do Senado


Livros, periódicos, cartas e outros escritos com mais de 300 anos, considerados raros, estão entre os 260 mil documentos que fazem parte do acervo digital da Biblioteca do Senado. O mais antigo foi redigido no ano de 1633, intitulado Novvs Orbis seu Descriptionis Indiae Occidentalis, e faz uma descrição geográfica, científica, etnológica e linguística da América. Quem assina é o geógrafo neerlandês Johannes de Laet.

Entre os periódicos que constam no acervo, o destaque é a Revista Moderna, impressa em Paris a partir de 1817. A publicação adotou uma linha moderna de produção jornalística, com foco em reportagens aprofundadas. De acordo com a Agência Senado, em breve serão incluídos mais títulos e periódicos, como o jornal satírico ilustrado Don Quixote, que circulou de 1895 a 1903.

Um dos poucos manuscritos digitalizados é o autógrafo da Lei Áurea, documento que erradicou [oficialmente] a escravidão no Brasil. É claro que o velho mulato Machado de Assis não poderia ficar de fora: o manuscrito de O Casamento do Diabo, em versos, também pode ser acessado. Como sua caligrafia era tão incompreensível que o próprio não entendia o que escrevia, uma versão digitada acompanha a obra para facilitar a leitura.

No total, a biblioteca da instituição disponibiliza 916 obras raras e valiosas em suas versões digitalizadas. Conforme explica a bibliotecária Clara Bessa Costa, responsável pela restauração e manutenção do material, o processo de liberação do material requer cautela e tempo.

"Na etapa de seleção analisamos se as obras estão em condições de passar pelo processo de digitalização, que é realizada com todo o cuidado para que não haja nenhum dano ao material.  Depois os arquivos em alta resolução são conferidos e convertidos para PDF para facilitar  o download pelas pessoas que acessarem nosso acervo", explica.

A cereja do bolo: não é necessário nenhum cadastro para acessar as obras. Bastar abrir o portal da Biblioteca Digital do Senado e realizar a busca. O cadastro só é requerido caso o usuário queira ser avisado quando novas obras forem incluídas na coleção.