O livro programado para se destruir

A maioria dos leitores não se importa muito com o tempo que leva para ler um livro. Mas Private Vegas, novo título do escritor de romances policiais James Patterson, colocou as pessoas dentro da trama de uma maneira pouco usual: após comprado, o livro deveria ser lido em até 24 horas antes de explodir. Sim, há uma contagem regressiva.


Apenas mil livros em formato digital foram vendidos diretamente através de um hotsite, com direito a cronômetro e explosão virtual. Infelizmente a campanha terminou rapidamente, afinal eram mil e-books de um escritor best-seller. O drama ficou mais por conta da campanha de divulgação que você pode assistir no booktrailer abaixo.


A estratégia de marketing não deixa de também ser uma estratégia narrativa. Com o relógio se aproximando de zero, a tendência é que a ansiedade do leitor aumente à medida em que ele avança. Se não vencer a contagem, não vai concluir a leitura -- um pouquinho da tensão que sente um soldado que desarma bombas. Em um livro que envolve um estilo policial com mais ação, é uma maneira contundente e eficaz de cativar o leitor.

Ainda assim você sente a necessidade de uma explosão real? Sem problemas. Pela bagatela de US$ 294 mil é possível comprar o único exemplar impresso que irá, de fato explodir. É claro que a cópia não irá chegar até o comprador pela Fedex: todo o processo será controlado e acompanhado de perto por um esquadrão anti-bombas. O leitor será levado a um lugar deserto e não-revelado para o desafio, com todo o aparato necessário para não virar pó junto com o livro. Depois poderá jantar com o escritor.

Com informações da Wired