Escritores argentinos podem receber pensão do governo

As entidades que representam os escritores na Argentina querem instituir uma pensão inusitada para os seus representados: uma pensão social para os escritores. O projeto já foi aprovado em Buenos Aires, e beneficia aproximadamente 100 autores, que recebem 2.650 pesos mensais, aproximadamente R$ 1.080,00. Em todo o país, segundo o governo, seriam pelo menos 1.000 beneficiados.

Ainda mais curioso do que o projeto, cujo modelo foi inspirado em leis já implementadas na França e Espanha, é a justificativa dada pelo poeta Moroslav Scheuba, coordenador da Sociedade Argentina de Escritores: "com a barriga vazia, o escritor não escreve [...] como escritores são boêmios, não economizam e acabam sem nada".

A "mamata", entretanto, tem pré-requisitos relativamente rigorosos: o beneficiado deve ter mais de 60 anos de idade, 20 dos quais dedicados à literatura ou pelo menos cinco livros publicados e, para o desencanto dos estrangeiros interessados, morar há, no mínimo, 15 anos na Argentina.

Com informações da Folha Online.